sobre o instituto

O cenário singular do século XIX brasileiro - período em que o Brasil nasce e consolida-se como nação independente - é o ponto de partida do Instituto Hercule Florence.

Desde a sua fundação, em 2007, o IHF - certificado como OSCIP dois anos depois, em 2009 - procura ser o lugar para pensar e difundir o Brasil oitocentista, destaque na rota de viajantes europeus que elegeram a relação homem-natureza como objeto de pesquisa científica e inspiração artística.

País de dimensões continentais, o Brasil foi um verdadeiro laboratório a céu aberto para o trabalho de naturalistas, zoólogos, botânicos, cartógrafos, astrônomos, artistas e tantos outros personagens que fizeram e fazem parte dessa história.

O patrimônio histórico conservado pelo IHF inclui documentos, iconografia, fotografias e publicações. O Instituto também destaca-se por promover e disponibilizar obras de seu acervo para exposições nacionais e internacionais.

O objetivo fundamental do Instituto Hercule Florence é a preservação física e digital, a pesquisa e a divulgação de documentos textuais, iconográficos e iconográficos relativos aos viajantes e às narrativas de viagem publicadas no século XIX.

Mas vai além. Homenageando o artista, viajante e inventor que lhe empresta o nome, o IHF também busca reunir e divulgar todo material referente à vida e à obra de Hercule Florence (1804-1879). Desenhista da Expedição Langsdorff (1825-1829), o franco-monegasco aportou em 1824 no Brasil, país onde se estabeleceu, desenvolveu inúmeras pesquisas – inclusive aquelas que levaram à descoberta do processo fotográfico - e viveu até a sua morte.

Para propagar conhecimento de forma ainda mais ágil, eficiente e gratuita, o IHF também disponibiliza digitalmente parte de seu acervo, ao lado de itens selecionados de instituições parceiras.

Congregar a memória, preservá-la, estudá-la e difundi-la para o presente e também para o futuro: assim vem trabalhando o IHF durante todos esses anos.