Inventos - Zoofonia

No manuscrito L’Ami des Arts, Hercule Florence escreve: “Seria necessário ter viajado como eu, por mais de três anos através dos vastos territórios do Brasil, para saber como é impressionante ouvir uma multidão de animais, com sons tão diferentes um do outro."

O contato com a natureza brasileira, em toda a sua exuberância visual e sonora, foi o que instigou Hercule Florence a desenvolver seus maiores inventos: a zoofonia e, para publicá-la, as técnicas gráficas que levaram à descoberta da fotografia em 1833.

Clique para ampliar

FLORENCE, Hercule - [Página 107 do manuscrito L'Ami des arts livré à lui-même...] - 1837-1859 - Tinta ferrogálica e lápis sobre papel - 30,6 x 21,0 cm - Coleção Instituto Hercule Florence (São Paulo) - Foto Heitor Florence.
FLORENCE, Hercule - [Página 108 do manuscrito L'Ami des arts livré à lui-même...] - 1837-1859 - Tinta ferrogálica e lápis sobre papel - 30,6 x 21,0 cm - Coleção Instituto Hercule Florence (São Paulo) - Foto Heitor Florence.

Além de perceber que as vocalizações dos animais são específicas para cada espécie, para cada mensagem (acasalamento, defesa de território etc) e para cada gênero (macho, fêmea), Hercule Florence desenvolveu um método para transcrever as “vozes dos animais” por meio dos signos tradicionais da música (em vez do sistema onomatopeico usado até então).

Em 1830, com dificuldades para imprimir o tratado em que descrevia o processo, Hercule Florence idealizou a poligrafia. No ano seguinte, a Tipografia de R. Ogier publicou Recherche sur la voix des animaux, ou essai d'un nouveau sujet d'études, offert aux amis de la nature, folheto de dezesseis páginas com detalhes sobre seu método de tipografia.

O termo “zoofonia” não pegou, mas Hercule Florence foi o pioneiro do campo (sem quaisquer equipamentos que o ajudassem na captação e na análise dos sons) que viria a ser chamado posteriormente de Bioacústica, disciplina que se firmou na década de 1960.


FLORENCE, Hercule - [Sapo] Rio-Pardo, 27 Aoút - 1826 - Aquarela sobre papel - 24,2 x 18,3 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)
FLORENCE, Hercule - Tête et patte de l'Anhú-póca - 1826 - Aquarela sobre papel - 28,2 x 42,3 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)
FLORENCE, Hercule - Penelope. - 1826 - Aquarela sobre papel - 24,7 x 18,5 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)
FLORENCE, Hercule - Aracuam. (Penelope) - 1826 - Aquarela sobre papel - 23,4 x 18,6 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)
FLORENCE, Hercule - Once agée d'environ 6 mois – 1828 - Aquarela sobre papel - 39,2 x 40,4 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)
FLORENCE, Hercule - Jararáca Gr. naturelle - 1826 - Aquarela sobre papel - 24,5 x 36 cm - Coleção Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)

BIBLIOGRAFIA INDICADA:

  • TOLEDO, Luís Felipe e ARAÚJO, Carlos Barros de. “Zoophonie: les origines de la bioacoustique. » in Hercule Florence.  Le Nouveau Robinson. Milan : Humboldt Books / Monaco : Nouveau Musée National de Monaco, [2017]. p. 264-285.
  • VIELLIARD, Jacques M. E. (org.). A zoophonia de Hercule Florence. Cuiabá : UFMT Editora Universitária, 1993.
  • Hercule Florence e o Brasil: o percurso de um artista-inventor. [São Paulo]: Pinacoteca do Estado, [2009]. (catálogo de exposição)

Voltar