Notas & Reflexões

Mais IHF

Hercule Florence: Patriarca da Iconografia Paulista

segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Obra Moagem de cana, Fazenda Cachoeira (1920), Benedito Calixto, realizada a partir de aquarela de Hercule Florence, pode ser vista na exposição "Mundos do Trabalho", no Museu Paulista

Diretor do Museu Paulista entre 1917 e 1945, Afonso d'Escragnolle Taunay considerava Hercule Florence o "Patriarca da Iconografia Paulista” e reconhecia seus desenhos como documentos da natureza e do cotidiano do século XIX paulista.

Afonso d'Escragnolle Taunay
Afonso d'Escragnolle Taunay na sala A12, “Consagrada à antiga iconografia paulista” por volta de 1923.Reprodução: Helio  Nobre. Museu Paulista.  

Com a missão de preparar o museu para as comemorações do Centenário da Independência, Taunay negociou com os filhos gêmeos de Hercule Florence, Guilherme e Paulo, o empréstimo de um conjunto de obras em papel do pai para ser reproduzida e, assim, constituir uma nova série documental, fotográfica e desenhos aquarelados a bico de pena, para o Museu. Nos anos seguintes, ele encomendou a diversos artistas, entre eles Alfredo Norfini, Oscar Pereira da Silva, Benedito Calixto, entre tantos outros, uma série de pinturas para o Museu Paulista, e de azulejos para o Museu Republicano Convenção de Itu, utilizando como matrizes os desenhos e as aquarelas de Florence.

Negativo de vidro da aquarela Engenho de Cana de Hercule Florence. Acervo Museu Paulista

No dia 7 de setembro de 1922, o Museu foi então reaberto, após um período de reforma, como um dos principais eventos das comemorações do Centenário da Independência em São Paulo. Na ocasião foram inauguradas cinco salas de exposição, entre elas a A12, “Consagrada à antiga iconografia paulista”. Esta sala, voltada especialmente para a representação de diversos aspectos do estado de São Paulo, teve as pinturas organizadas nas séries “Cavalhadas em Sorocaba (1830)”, “Cenas de igreja”, “Monções, navegação para o Mato Grosso”, “Primeiras fazendas de café no oeste de São Paulo” e “Tipos antigos”. A maior parte dessas telas foi baseada nas aquarelas de Florence.

Fruto do convênio entre o IHF e o Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP/USP), nos anos de 2019 e 2020, uma equipe de trabalho foi constituída para pesquisar essas encomendas, resultando no Seminário Internacional “Museu Paulista e as memórias das narrativas de Aimé-Adrien Taunay e Hercule Florence”, no E-book com o mesmo título, no webinário “Hercule Florence, a produção de imagens e as exposições do Museu do Ipiranga e do Museu Republicano”, na exposição virtual “Cinco pintores visitam Hercule Florence”, além de verbetes digitais de artistas.

Moagem de cana, Fazenda Cachoeira, Benedito Calixto, 1920. Acervo Museu Paulista

Após um hiato de 7 anos, o Museu Paulista, foi reinaugurado e reaberto este ano para visitação durante o Bicentenário da Independência. Para essa nova fase a instituição preparou 11 exposições permanentes, entre elas “Mundos do Trabalho”, que apresenta a atuação de trabalhadores em diferentes atividades e períodos da história do Brasil. Nesta mostra o visitante poderá encontrar imagens de registro do trabalho no País, como a tela “Moagem de cana, Fazenda Cachoeira” de Benedito Calixto, realizada a partir da aquarela de Hercule Florence.


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
ACEITAR
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
ACEITAR